Início Notícias Fundeb Imagens Arquivos Contato

 

 

Página - 1 - 2

Notícia - 19/08/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Água mineral só para tempo integral

 

No período de 26 de março a 1 de abril de 2014, a prefeitura de Caruaru fez uma licitação para a compra de 300 mil litros de água mineral em garrafões de 20 litros ( como mostra a imagem). A licitação foi publicada no Diário Oficial do município no mesmo período citado e tinha por objetivo, suprir as necessidade da Secretaria de Educação, dos centros de educação infantil e das escolas de tempo integral.

 

 

O que chama mais a atenção é que só as escolas de tempo integral são contempladas com água mineral, enquanto as outras oferecem água da torneira, ou proíbem o uso de água devido a evitar problemas de saúde. Nestes casos, são os alunos quem levam água de suas casas para beber durante todo o turno.

 

 

Notícia - 06/08/2014 -  (R©) - Clique aqui para comentar esta notícia
Educação a caminho da federalização

 

 

A comissão de Educação, Cultura e Esporte, do Senado aprovou um projeto do Senador Critovam Buarque que pede a convocação de um plebiscito para consultar o eleitorado nacional sobre a federalização da educação básica.

 

A aprovação aconteceu ontem (05/08). Mais duas comissões irão analisar o projeto, a de Assuntos Econômicos (CAE) e de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) para, posteriormente, ser votada em Plenário.

 

 

Adaptado: Portal R7 / Portal Senado

 

Notícia - 31/07/2014
Resultado da Assembleia

 

Na primeira assembleia após o fim da greve, as discussões e informativos foram mais objetivas. Dois processos serão encaminhas, um pedindo o reajuste de 8,35% do piso nacional e outro pedindo a retirada da gratificação de regência do salário base.

 

Sobre os diários, foi relatado pelos professores que a maioria das escolas ainda não entregou os diários, e foi aprovado em assembleia que os mesmos só serão preenchidos pelos docentes a partir da data de recebimento, e que o preenchimento dos dados anteriores serão de responsabilidade da secretaria de educação, este tema será levado para discussão na reunião da mesa de negociação que acontecerá no dia 6 de agosto, na próxima quarta-feira às 15 h na sede da secretaria de educação.

 

Durante a reunião ficou estabelecido que serão realizadas novas assembleias no último dia útil de cada mês e em caso urgente, outras assembleias poderão ser convocadas. As novas assembleias serão:

 

29 de agosto - sexta-feira - Manhã

30 de setembro - terça-feira - Tarde

31 de outubro - sexta-feira - Manhã

28 de novembro - sexta-feira - Tarde

 

Notícia - 12/07/2014 -  (R©) - Clique aqui para comentar esta notícia
Mesa de negociação será reaberta ?

A mesa de negociação parece que não tem previsão de começar. Acompanhe as notas de esclarecimento.

1ª nota

 

O Sismuc divulgou hoje (12) que a mesa de negociação com a prefeitura será reaberta na próxima terça-feira dia 15.

 

Comunicado do Sismuc

 

Em resposta à ofício, o SISMUC REGIONAL informa aos Servidores Públicos da Rede Municipal de Ensino que estará abrindo a Mesa de Negociação da Educação com o Executivo Municipal, nesta próxima terça-feira, 15.

 

Fonte: Sismuc

 

2ª Nota

 


Prefeitura diz que reabertura de negociação não tem data

A Prefeitura de Caruaru negou, através de nota, a reabertura da Mesa de Negociação com o Sindicato dos Servidores Municipais de Caruaru (Sismuc), que informou que havia uma reunião marcada para esta terça-feira (15), atendendo a um ofício recebido. "A Prefeitura de Caruaru informa que não enviou nenhum ofício ao SISMUC. Posteriormente, uma data será marcada para reabertura da mesa de negociação e repassada ao sindicato", diz o texto.

 

Fonte: Blog do Vanguarda.

3ª Nota

 

Nota de esclarecimento do Sismuc:

O SISMUC REGIONAL vem através desta, esclarecer que na realidade o sindicato não recebeu oficialmente nenhum comunicado da Prefeitura Municipal de Caruaru, mas que apenas o Secretário de Administração do Município, Antônio Ademildo, informou que nesta terça-feira, 15, o Secretário de Educação estaria se posicionando em relação à retomada das negociações.

 

Fonte: Sismuc

 

 

Notícia - 07/07/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Faltam professores

 

As aulas recomeçaram e os problemas também, um dos principais é a falta de professores nas escolas, muitas turmas estavam sem aula desde o início do ano e continuam sem aula mesmo depois do fim da greve.

As escolas continuam com muitos contratos ocupando as vagas dos concursados, mesmo com decisão da justiça que obriga a prefeitura a preencher as vagas com os novos concursados.

O maior problema são as turmas que não assistiram nenhuma aula de algumas disciplinas desde o início do ano, 7 meses depois do ano levito iniciar a secretaria não colocou nenhum professor para suprir estas carências e a informação é que os supervisores terão que dar as aulas nessas turmas até o final do ano sem ter nenhum conhecimento dos conteúdos.

 

 

Notícia - 16/06/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Mesa de negociação, alguém sabe o que é isso?

 

Trinta dias a pós o fim da greve dos professores da rede pública municipal de Caruaru, os docentes confirmaram mais uma informação que tanto divulgaram no período de paralisação, A prefeitura não quer e nem vai negociar nenhum item da pauta de reivindicações antes ou depois do fim da greve.

 

Esta afirmação começou a ser comprovada na última nota da prefeitura sobre a greve (15/05); nesta nota a prefeitura não citou mais que a mesa de negociação está aberta.

 

 

Nem mesmo a elaboração do calendário de reposição contou com a presença dos professores, como mostra a nota da prefeitura.

 

Os professores já sabiam que a prefeitura não iria cumprir com o que tanto divulgou e foram duramente criticados por não aceitarem está tentativa de acordo. Acordo este, que era apenas um propaganda.

 

Notícia - 03/06/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
PNE é aprovado e aguarda sanção da presidente Dilma

 

Após três anos e meio de tramitação no Congresso, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (3) o PNE (Plano Nacional da Educação). O texto segue agora para sanção da presidente Dilma Rousseff.

O plano destina 10% do PIB (Produto Interno Bruto) para a educação e prevê que gastos com creches conveniadas e programas como o Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) e Prouni (Programa Universidade para Todos) entrem na conta.

O PNE estabelece 20 metas e 253 estratégias para a educação a serem cumpridas nos próximos dez anos (a contar a partir da sanção presidencial). Entre as diretrizes, estão a erradicação do analfabetismo, a valorização da carreira docente e o aumento de vagas no ensino superior, na educação técnica e na pós-graduação. Veja quais são as 20 metas do PNE.

Na quarta (28), a Câmara já havia aprovado o texto-base do plano, relatado pelo deputado Angelo Vanhoni (PT-PR). Hoje foram votados dois destaques, propostas que poderiam alterar o texto, mas que foram rejeitados. As discussões eram sobre a complementação da união do CAQ (Custo Aluno Qualidade) e a contabilização em parcerias e em isenção de impostos como investimento público.

Destaques da votação
Nesta terça, o plenário rejeitou, por 269 votos a 118, o destaque apresentado pelo deputado Paulo Rubens Santiago (PDT-PE). A proposta previa a retirada do texto-base de programas como o Fies e Prouni na contabilização dos 10% do PIB.

"O destaque preserva a continuidade desses programas, mas não os incorpora na meta porque, se assim fizermos, haverá competição com as outras metas, com o financiamento do ensino público e da pesquisa acadêmica em universidade pública", disse o deputado.

O texto originalmente aprovado pela Câmara previa que a parcela do PIB fosse destinada apenas para a educação pública. O plano, porém, foi alterado no Senado, que acrescentou o ponto que possibilitava a entrada na conta de recursos destinados a creches conveniadas e programas de bolsas e financiamento.

O segundo ponto de discussão entre os deputados foi o destaque apresentado pelo PMDB, que pretendia impedir que a União tivesse de complementar recursos para Estados, Distrito Federal e municípios se estes não atingirem o montante necessário ao cumprimento de padrões de qualidade na educação, conceituados como CAQi (Custo Aluno Qualidade inicial) e CAQ (Custo Aluno Qualidade).

Após um acordo entre líderes de partidos, o destaque foi rejeitado e o Governo Federal se compromete a complementar a verba para Estados e municípios.

Avaliação do PNE
O PNE institui avaliações a cada dois anos para acompanhamento da implementação das metas. Essa fiscalização será feita pelo MEC, pelas comissões de Educação da Câmara e do Senado, pelo Conselho Nacional de Educação e pelo Fórum Nacional de Educação. Os dados serão publicados nos sites dessas instituições.

O projeto, no entanto, não fixa penalidades para os gestores que não cumprirem as metas estabelecidas. As punições serão definidas na proposta da chamada Lei de Responsabilidade Educacional (PL 7420/06 e apensados) que está sendo analisada na Câmara.

O texto estabelece prazo de um ano, a partir da vigência da nova lei, para que Estados, Distrito Federal e municípios elaborem seus planos de educação ou façam as adequações necessárias aos planos existentes para que eles fiquem de acordo com as metas do PNE. Esses documentos devem ser elaborados com a ampla participação da sociedade.

Vai e vem
O PNE foi enviado pelo governo federal ao Congresso em 15 de dezembro de 2010 e só foi aprovado pela Câmara dos Deputados quase dois anos depois, em outubro de 2012, após ter recebido cerca de três mil emendas.

No Senado, o texto foi aprovado em plenário no dia 17 de dezembro de 2013. Em seguida, foi encaminhado para a Comissão Especial da Câmara, onde teve o texto-base aprovado em 22 de abril.

Reprodução: Agência Câmara de Notícias / UOL Educação

 

 

Notícia - 03/06/2014 -  (R©)
Resultado da Assembleia

 

O SISMUC REGIONAL promoveu na manhã desta terça-feira, 03, mais uma Assembleia Geral Extraordinária com os Servidores Públicos da Rede Municipal de Ensino. O encontro aconteceu nas dependências da União Beneficente dos Artistas de Caruaru, onde os docentes foram informados sobre os últimos acontecimentos envolvendo o sistema de educação do Município e a prefeitura no que diz respeito ao calendário de reposição das aulas e ressarcimento dos salários descontados.

Só lembrando que a resposta do magistrado Dr. José Fernando Santos de Souza em relação ao mandado de segurança protocolado pelo SISMUC RGIONAL, foi de que não havia a necessidade da abertura de procedimento administrativo, com exercício de contraditório e produção de provas, porque não se tratava de um ato de punição, mas de mero desconto por falta injustificada ao serviço. Destarte, se não regulamentado o direito, o seu exercício com a paralisação dos serviços implica automaticamente no dever da administração em efetivar descontos pelos dias parados, considerando-os, portanto, como falta injustificada ao trabalho.

Em relação à reposição das aulas, Eduardo Mendonça foi enfático ao declarar que pediu apoio à Promotoria da Infância e Juventude através da Drª Silvia Amélia e ao Conselho Tutelar e que ainda não tinha nenhum avanço nas negociações com o Executivo Municipal. “Queremos nos reforçar com o apoio dessas entidades, na única tentativa de agilizar o calendário de reposição para não atrasar ainda mais o ano letivo no município. Mesmo com a afirmação da prefeitura de que iria devolver os salários descontados e pagar o mês de Maio de forma efetiva, alguns professores tiveram o contracheque zerado novamente, ou seja, havendo o descumprimento mais uma vez por parte da gestão municipal”, apontou Mendonça.

Reprodução: Site Sismuc

 

Notícia - 29/05/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Escola Professor Machadinho é denunciada na TV

 

Na quarta-feira (28) o jornal ABTV 1ª edição exibiu no seu quadro Cidade real denuncias contra a Municipal Professor José Florêncio Neto , conhecida pelo nome Professor Machadinho. A reportagem, com mais de 12 minutos, mostra denuncias de falta de estrutura, merenda, segurança e condições para dar aulas. Os vídeos exibidos na reportagem foram feitos por alunos da escola.

 

Todas as denuncias da reportagem, também aparecem em outras escolas da rede municipal e foram feitas pelos professores durante a greve.

 

No link abaixo, você pode assistir a reportagem.

 

Reportagem - Clique aqui

 

Foto:Teto da escola. (captura de tela)

 

 

 

Notícia - 26/05/2014 - (R©)
Resultado da Assembleia

 

Após o encerramento da maior greve da história da Rede Pública Municipal de Ensino, a qual durou 83 dias, os professores voltaram a se reunir em Assembleia Geral Extraordinária convocada pelo SISMUC REGIONAL, na manhã desta segunda-feira, 26, nas dependências da União Beneficente dos Artistas de Caruaru. Os docentes iniciaram os debates para a reposição das aulas e ressarcimento dos salários descontados.

De acordo com Eduardo Mendonça, será necessário mais de um mês para atualizar o calendário das aulas na Educação Municipal. “O nosso intuito não é de prejudicar de forma alguma ao nosso alunado, mas precisamos tratar todos os detalhes e chegar a um acordo para normalizar as atividades de ensino-aprendizagem dos discentes (alunos) da Rede Municipal de Ensino”, relatou Mendonça.

Em OFÍCIO /SAD/863/2014 enviado pela Prefeitura de Caruaru ao sindicato, com a proposta de pagamento na folha deste mês, dos salários retidos referentes a março, e dos relativos ao mês de Abril no próximo mês de Junho e o estabelecimento do programa de reposição das aulas, com encaminhamento da proposta de calendário para discussão democrática em cada escola, a fim de melhor adaptar o cronograma às necessidades de professores e alunos, a categoria dos docentes, decidiu em assembleia de só repor os conteúdos dos dias parados quando receber integralmente os salários descontados, em folhas separadas, e com a abertura da mesa de negociação até o próximo dia 02 de Junho para discutir os 8.32% de reposição das perdas salariais referentes ao ano de 2013.

Na assembleia, também ficou decidido por parte dos professores que a categoria vai apoiar um grande Ato Público promovido por várias entidades de Caruaru, no próximo sábado dia 31, com concentração a partir das 16h, em frente ao Estádio Luiz José de Lacerda (Campo do Central), na Avenida Agamenon Magalhães. Próxima assembleia está marcada para o próximo dia 03 de junho às 9h, na União Beneficente dos Artistas de Caruaru.

 

Reprodução: Site Sismuc

 

 

Notícia - 23/05/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Prefeitura faz nova convocação de concursados

 

Prefeitura faz nova convocação do concurso de 2009. Veja a publicação no diário oficial do município.

 

 

Link para o diário oficial - Clique Aqui

 

 

Notícia - 22/05/2014 -  (R©) - Clique aqui para comentar esta notícia
Nova assembleia segunda-feira

 

O SISMUC REGIONAL convoca a todos os Servidores da Rede Pública Municipal de Ensino a participarem de Assembleia Geral Extraordinária na próxima segunda-feira, 26, às 9h nas dependências da União Beneficente dos Artistas de Caruaru. Em pauta os professores estarão discutindo assuntos relacionados à reposição das aulas e ressarcimento dos salários descontados.

 

Reprodução: Site do Sismuc

 

 

 

Notícia - 19/05/2014 -  Clique aqui para comentar esta notícia
Secretaria quer impor calendário de reposição

 

A secretaria está informando que a reposição começa no próximo sábado (24) com devolução dos valos descontados no pagamento de maio de uma única vez. Não existe nenhum acordo do sindicato com a secretaria de educação sobre reposição de aulas e devolução dos salários descontados.

 

Só haverá reposição mediante acordo com o sindicato e conforme a pauta de reivindicações votadas na última assembleia. Não será aceito nenhuma reposição antes das devoluções dos valores descontados e em folhas separadas, conforme decidido em assembleia.

 

Notícia - 19/05/2014 -  (R©) - Clique aqui para comentar esta notícia
Professores protestam no aniversário de Caruaru

 

 

Os professores da Rede Municipal de Ensino voltaram a protestar contra o prefeito José Queiroz (PDT). Eles aproveitaram o momento do aniversário da cidade para fazer mais um protesto contra a aprovação do PCC e o não pagamento do reajuste de 8,23% no piso salarial. No momento no qual o hino nacional era entoado os professores gritavam, apitavam e faziam panelaço em direção ao prefeito de Caruaru.

 

Visivelmente irritado com o protesto dos professores, o prefeito José Queiroz (PDT), evitou polemizar a situação e disse que a quantidade de manifestantes não representa a categoria. Ele ainda falou em educação e disse que o momento é de comemoração.

“É um momento de comemorar o aniversário da cidade, a nossa grandeza dos nossos antepassados e das coisas que enaltecem as conquistas de Caruaru. Diante de três decisões da justiça, com 15 ou 20 pessoas que desejam gritar, eles dão apenas vazão aquilo que eles são. Professores na hora do hino nacional ficaram proferindo palavras de desordem, esse julgamento deve ser da imprensa. Estamos felizes, pela primeira vez na história nós temos a presença de um governador no aniversário da cidade e um caruaruense. Não consideramos esses fatos, respeitamos o tempo todo, a nossa educação doméstica manda que no exercício do cargo de prefeito eu respeite a todos os caruaruenses, até aqueles que me desrespeitam. Estamos falando de 340 mil pessoas e por isso, perderam tempo”, disse.

 

Reprodução: Blog do Mário Flávio

 

 

 

 

Notícia - 16/05/2014 -  (R©) - Clique aqui para comentar esta notícia
A greve acabou

 

 

Por Ana Rebeca Passos

Após mais uma assembleia realizada nesta sexta-feira (16) em Caruaru, os professores decidiram encerrar a greve, que já durava mais de 80 dias. Na esperança da retomada das negociações com a prefeitura de Caruaru, os professores votaram por unanimidade pelo fim da paralisação. O presidente do sindicato, Eduardo Mendonça, comentou a decisão dos professores. “Essa greve chegou aonde podia ter chegado. Temos na cabeça um peso da decisão da judicial. A categoria decidiu terminar com a paralisação, mas acabou apenas a greve, não a luta”, disse.

“Não perdemos a guerra, apenas uma batalha, esse é o maior movimento da história da cidade e o terceiro maior do Brasil. Essa greve é vitoriosa, vamos seguir com a nossa peleja para derrubar o PCC e mostrar o fracasso que se encontra a educação municipal”, completou o professor Fabiano Andrade.

Por meio de ofício, a secretaria de administração da prefeitura garantiu aos professores a retomada da mesa de negociação, o direito dos trabalhadores e assegurou aos alunos a reposição da aulas como também a devolução dos salários descontados dos docentes ao longo da greve. Na última quinta-feira (15) uma decisão do Tribunal de Justiça de Pernambuco manteve a ilegalidade da greve e determinou a volta imediata dos docentes as salas de aula, sob pena de multa diária de R$ 4.000,00 para o Sindicato dos Servidores Municipais (SISMUC).

 

Reprodução : Blog do Mário Flávio

 

 

Notícia - 14/05/2014 -  (R©)
Resultado
: nova assembleia sexta

 

 

Aos 80 dias exatos de greve na Rede Pública Municipal de Educação, o SISMUC REGIONAL esteve promovendo mais uma Assembleia Geral Extraordinária com a categoria docente do Município na manhã desta quarta-feira, 14, nas dependências da União Beneficente dos Artistas de Caruaru. Na ocasião, os educadores estiveram sendo informados sobre a decisão do Tribunal de Justiça de Pernambuco determinando a volta imediata dos professores da rede municipal de Caruaru ao trabalho, sob uma pena de multa diária de R$ 4mil para o Sindicato dos Servidores Municipal. A decisão foi tomada pela Corte Especial por unanimidade, na última segunda-feira, 12, em julgamento que manteve a ilegalidade da greve ao rejeitar o Agravo de Instrumento impetrado pelo SISMUC REGIONAL.


De acordo com o Presidente do SISMUC REGIONAL, o Tribunal de Justiça de Pernambuco entendeu em manter a decisão, em julgamento que manteve a ilegalidade da greve ao rejeitar o Agravo de Instrumento impetrado pelo Sindicato. “Na verdade não há nenhuma novidade, tendo em vista que o TJPE manteve a decisão, porém vale lembrar que ainda não foi julgado o mérito da ação”, apontou Mendonça.
Os 15 docentes que foram a Recife nesta terça-feira, 13, ao Tribunal de Justiça de Pernambuco voltaram com sentimento de frustração vendo que o Tribunal não considerou os argumentos colocados pelos professores em defesa da categoria, apenas observando o prejuízo que a greve poderia causar aos alunos “Ficamos tristes ao entendermos que a justiça não foi feita como deveria, pois, tínhamos bons argumentos para com a greve e não foram levados em consideração pelos desembargadores que neste processo se fizeram presente”, desabafou a professora Rosineide Santos, presidente do Conselho de Alimentação Escolar do Município.

Eduardo Mendonça destacou ainda o argumento utilizado pelo Desembargador Jovaldo Nunes Gomes alegando em negrito no agravo que eventual decisão em sentido contrário causaria um prejuízo enorme e irreparável aos estudantes, na medida em que “O alunado público municipal ficará ceceado do direito ao necessário aprendizado, o que, sem dúvida alguma, causará a deficiência na formação intelectual de milhares de jovens. Ademais, some-se a tudo isso os prováveis altos índices de reprovação ao final do ano letivo, o que certamente atrasará a formação acadêmica de muitas crianças e adolescentes, com o comprometimento do ano letivo”, (fl., 66v da decisão agravada).

No final da assembleia os Servidores Públicos Municipais de Educação decidiram em manter a greve e na próxima sexta-feira, 16, será realizada nova assembleia para se ter uma resposta do Chefe do Executivo de ser reiniciada a mesa de negociação com a categoria. Vale lembrar que a greve já é a maior registrada na história da educação de Caruaru.

 

Reprodução: Site do Sismuc

 

 

Notícia - 14/05/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
TJPE decide pela segunda vez que greve é ilegal

 

A prefeitura divulgou um nota a imprensa divulgando a decisão do TJPE em manter a ilegalidade da greve.

 

Ainda não foi publicado no site do TJPE o texto com a decisão, a nota apenas informa que o motivo foi o descumprimento da decisão anterior.

 

Segue a nota.

 

O Tribunal de Justiça de Pernambuco determinou a volta imediata dos professores da rede municipal de Caruaru ao trabalho, sob pena de multa diária de R$ 4.000,00 para o Sindicato dos Servidores Municipais (SISMUC). A decisão foi tomada por unanimidade, na última segunda-feira, 12, em julgamento que manteve a ilegalidade da greve ao rejeitar o Agravo de Instrumento impetrado pelo Sindicato.

A posição do Tribunal levou em conta que o SISMUC desrespeitou a decisão liminar do desembargador Jovaldo Nunes Gomes, de 17 de março, que havia determinado que os professores voltassem às salas de aula e fixado uma multa para o Sindicato em R$ 1.000,00 por dia em caso de desobediência.

 

 

 

Notícia - 11/05/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Imprensa, ética e pitaqueiros, em Caruaru



Em um texto intitulado “Imprensa, ética e educação em Caruaru” um leitor do Blog Política de A a Z tentou “analisar” as falas de alguns professores grevistas sobre reportagem veiculada em rede de TV local. O referido texto, escrito de forma bastante confusa, acabou por demonstrar duas coisas: 1º. o autor desconhece completamente o contexto em que as falas foram proferidas; 2º. sua “análise” é absolutamente superficial, simplista. Portanto, considerando os dois pontos anteriores, fica claro que o autor do texto, em relação ao movimento dos professores de Caruaru, não passa de um pitaqueiro. E como tal, não consegue ir além de uma fraseologia confusa, chegando até ao absurdo de faltar com a verdade quando afirma que, na fala de uma professora, “os profissionais da TV Asa Branca foram rotulados de ridículos”.

 

Digno de nota é a ginástica intelectual que o nosso pitaqueiro faz quando trata da ética. Primeiro, ele cria para si um conceito de ética. Em seguida, munido do seu próprio conceito e com a pretensão de que o mesmo seja válido para todas as pessoas, o pitaqueiro de plantão passa a acusar os professores de danificarem a ética.
Outro ponto interessante do texto é quando o pitaqueiro critica os professores por rotularem os repórteres e faz isso, pasmem, rotulando os docentes de atentadores contra a ética. Ou seja, ele critica a rotulação, rotulando. Mais contraditório impossível.

 

Resumindo: um pitaco baseado em duas frases retiradas de seu contexto, através de um amontoado de lugares comuns, tendo como fio condutor um conceito de ética tão “profundo” quanto a capacidade do autor em analisar algo que ele demonstra não conhecer.
Não sabemos se a piscina do nosso pitaqueiro está cheia de ratos; mas, que suas ideias não correspondem aos fatos, disso nós temos certeza.

 

Deixamos como registro uma reflexão: dar pitaco sobre um assunto, cujo contexto não se conhece, não é inteligente.

Caruaru, 09 de maio de 2014.
Diretoria da Associação dos Trabalhadores em Educação de Caruaru - ATEC

 

Notícia - 09/05/2014
Andamento do mandado de segurança

 

Foi publicado ontem (08), no Diário Oficial Eletrônico do Tribunal de Justiça de Pernambuco, o despacho do Desembargador Erick de Souza, comunicando o envio do mandado de segurança para a Vara da fazenda Pública de Caruaru.
Nos próximos dias o mandado estará com um dos dois juízes da Vara da Fazenda para análise.

 

 

 

Notícia - 07/05/2014 -  (R©)
Resultado da assembleia

 

Diferentemente do restante do País que estava com as atenções voltadas para a convocação dos 23 Jogadores da Seleção Brasileira que vão disputar a Copa do Mundo do Brasil, em Caruaru os holofotes mais uma vez estavam direcionados para os Servidores Públicos da Rede Municipal de Ensino, que nesta quarta-feira, 07, completaram 73 dias de greve na educação de Caruaru, sendo a maior registrada nos anais da cidade. Os docentes participaram de mais uma Assembleia Geral Extraordinária, promovida pelo SISMUC REGIONAL nas dependências da União Beneficente dos Artistas de Caruaru.

O presidente do SISMUC REGIONAL, Eduardo Mendonça, informou que tinha dado entrada no mandado de segurança no Tribunal de Justiça de Pernambuco, para garantir os salários referentes ao mês de Abril, visto que para o mês de março será protocolada uma ação de cobrança, porém o desembargador Eric Simões remeteu o processo para comarca de Caruaru, por entender que a competência original seria a Fazenda Pública em Caruaru. “Nunca na história deste País uma categoria de trabalhadores foi tão desrespeitada”, lamentou Mendonça.

A União dos Estudantes Secundaristas de Caruaru (UESC) esteve presente na assembleia, representada pela sua diretora de educação, Lene Correia, para expor seu apoio aos professores grevistas. “A greve é um direito constitucional e é um direito de todos nós trabalhadores lutarmos para garanti-la. Essa greve é de resistência porque vocês estão sem salários. Estamos solidários a este movimento e gritamos juntos a esta palavra de ordem: A nossa Luta Unificou, é estudante, professor e trabalhador! Infelizmente neste País os governantes dão prioridade a tudo, inclusive a modernos estádios de futebol, as tais arenas da copa, onde se foram investidos bilhões de reais, porém não se tem dinheiro para investir na educação, na saúde e nas políticas sociais”, apontou Correia.

Por fim, foi decidido por unanimidade em assembleia pela permanência da Greve e também que os professores vão realizar um novo protesto no aniversário de Caruaru no próximo dia 18. Próxima assembleia está marcada para a próxima quarta-feira,14, às 9h, na União Beneficente dos Artistas de Caruaru.

 

Reprodução: Site do Sismuc

 

 

Agradecimento

 

 

 

Notícia - 06/05/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Mandado de segurança será julgado em Caruaru

 

 

A decisão do desembargador Erik de Souza Dantas Simões surpreendeu a todos que aguardavam por uma definição em relação aos descontos dos salários dos professores que estão em greve, o desembargador decidiu enviar o mandado de segurança para a a Vara da Fazenda Pública da Comarca de Caruaru, por entender que não é da competencia do órgão julgar o mandado.

 

Veja o andamento do processo e a decisão do desembargador  nas imagens abaixo

 

 

 

 

 

Notícia - 30/04/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Mandado de segurança será julgado até terça-feira (06/05)

 

 

A greve dos professores municipais de Caruaru ganhou mais um capítulo, o Sismuc  entrou com um mandado de segurança coletivo para pedir o ressarcimento dos descontos dos meses de março e abril. No mandado foi incluído a recomendação do ministério público que foi publicada ontem no Diário Oficial de Pernambuco. O mandado será julgado em até 72 h, contadas a partir da próxima sexta.

 

veja o andamento do processo na imagem baixo.

 

 

Notícia - 30/04/2014
Resultado da assembleia

 

 

Durante a assembleia geral realizada na tarde de hoje (30), os professores discutiram o conteúdo da recomendação do Ministério Público já citado aqui. Durante a assembleia, os professores foram informados que o mandado de segurança já tinha um relator e que este terá um prazo de 72 h para divulgar a decisão, contando a partir da próxima sexta-feira (02).

 

Uma nova assembleia foi marcada para o dia 7 de maio, quarta, novamente na União Beneficente a partir das 13 h.

 

Notícia - 29/04/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Ministério Público de Pernambuco faz recomendações a prefeitura de Caruaru, entre elas a devolução dos salários.

 

Foi Publicado no Diário Oficial de hoje (29/04) a recomendação conjunta das promotoras de justiça Sílvia Amélia de Melo Oliveira e Bianca Stella Azevedo Barroso, que trata de diversos aspectos da greve dos professores que chega a 65 dias hoje.

 

Entre os principais pontos estão, o direito a educação, valorização dos profissionais da educação escolar, ingresso na carreira pública por concurso, gestão democrática, piso salarial, violação dos direitos a saúde, qualidade da educação.

 

As recomendações  pedem que o prefeito se abstenha de descontar os vencimentos, que devolva o que já foi descontado, pois há um acordo no MP de reposição das aulas e que não faça processo simplificado de contratação. A recomendação informa que o não atendimento da recomendação implicará na adoção de todas as medidas necessárias para sua implementação.

 

veja abaixo a recomendação na integra.

 

 

 

 

Notícia - 27/04/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Conheça o relatório das escolas de rede pública municipal de Caruaru

 

Veja em vídeo o relatório que está sendo apresentado nas Plenárias Populares de Educação.

 

 

 

 

Notícia - 24/04/2014 - (R©)  - Clique aqui para comentar esta notícia
Greve dos professores... E tudo começou assim...

 

 E TUDO COMEÇOU ASSIM...


1. Em 2009 os professores entraram em greve para implantação do piso nacional do magistério, que entrou em vigor neste mesmo ano, ainda neste ano, no mês de abril mandou um projeto de lei para Câmara Municipal extinguindo a gratificação de permanência na zona rural, que era de 30%;

2. Em 2010 os professores entraram em greve pela reposição salarial do piso;

3. Em 2011, greve novamente pela reposição do piso e para não perder a gratificação de regência, o que culminou ainda com a preda de 50% da mesma, ou seja, reduziu-se de 50% para 25%. Também neste momento se instituiu uma mesa permanente de negociação, a mesma se reunia periodicamente até 2012, na ocasião foram discutidos vários assuntos, como estrutura física das escolas, merenda escolar, e outros, porém sem conclusão;

4. Em 2012 foi repassada a reposição salarial sem maiores atropelos;

OBS: Em todos os anos a reposição só foi implantada a partir de meados de cada ano, quando a lei diz que é a partir de janeiro, o débito retroativo era dividido em várias parcelas.

5. Em 2013 de forma a surpreender todos, o prefeito mandou para aprovação em uma sessão extraordinária, que foi convocada sem que fosse observado o prazo previsto no Regimento Interno da Câmara, na Lei Orgânica do Município e na Constituição Estadual que prevê um prazo de no mínimo 24 horas para convocação de uma sessão extraordinária, onde os vereadores aprovaram sem uma leitura apropriada o que se exigiria para aprovação de um projeto lei tão complexo, isso foi feito em aproximadamente 3 horas, esse tempo foi utilizado para leitura e entendimento de 49 artigos, vários incisos, parágrafos e anexos e aprovação;

6. Esse PCC foi construído por pessoas que não entendem nada de educação (o que foi comprovado por vários doutores em Educação que o leram) e sem o conhecimento de nenhum professor, até mesmo o secretário de educação da época, Welson Costa, declarou em diversas entrevistas que desconhecia a construção e o conteúdo do referido PCC;

7. Em 25 de fevereiro de 2013 a categoria informa à administração que fará paradas de advertência com atos públicos e pede que abra-se uma nova mesa de negociação para discussão de alterações do PCC;

8. Em 01 de março de 2013 a categoria aceita compor esta nova mesa de negociação;

9. Em 06 de março de 2013 a categoria suspende temporariamente as paradas de advertência, dando um voto de confiança à nova mesa de negociação;

10. Em 14 de março de 2013 a categoria informa à administração que não aceita a proposta feita pela mesa, pois estas não contemplam o que foi proposto pela categoria e informa que vai retomar as paradas com atos públicos;

11. Em 22 de março de 2013 a categoria informa que aguarda posicionamento de executivo municipal sobre as alterações ao PCC;

12. Em 25 de abril de 2013 o SISMUC envia ofício ao Deputado Wolney Queiroz solicitando sua mediação no conflito;

13. Em 29 de abril de 2013 SISMUC envia ofício ao Ministério Público Estadual solicitando a Dra. Silvia Amélia mediação junto ao município para construir junto com os professores e Secretária de Educação o calendário de reposição das aulas não ministradas. O mesmo ofício também foi enviado à Vara da Infância e Juventude na pessoa da Dra. Silvia Regina;

14. Em 03 de maio de 2013 SISMUC envia ofício ao Secretário de Administração que a reposição das aulas referentes às paralisações só ocorrerá logo após a devolução por parte da prefeitura dos valores descontados ;

15. Em 29 de junho de 2013 SISMUC pede3 audiência com o prefeito do mu7nicípio, visto que ele já havia se reunido com vários segmentos da sociedade organizada e só ele poderia por fim a este impasse: PCC;

16. Em 30 de agosto de 2013 a categoria decreta “estado de greve” em assembleia realizada;

17. Em 02 de outubro de 2013 SISMUC reitera pedido de audiência com o prefeito do município e categoria decide manter estado de greve;

18. Em 10 de outubro de 2013 SISMUC reitera pedido de audiência com o prefeito do município e categoria decide manter estado de greve;

19. Em 18 de outubro de 2013 SISMUC reitera pedido de audiência com o prefeito do município e categoria decide manter estado de greve;

20. Em 08 de novembro de 2013 SISMUC reitera pedido de audiência com o prefeito do município e categoria decide manter estado de greve;

21. Em 02 de dezembro de 2013, pela sexta vez, SISMUC reitera pedido de audiência com o prefeito do município e categoria decide manter estado de greve.



Finalizamos o ano de 2013 de forma crítica, pois não foi concluído nada do que a categoria buscava. Foi decidido que iríamos iniciar 2014 que novas tentativas de negociação, caso não conseguíssemos, haveria grande possibilidade de ser deflagrada uma greve. Ao tomar conhecimento do fato, o prefeito deu vária entrevistas desrespeitosas ao movimento, inclusive afirmando com estas palavras a um jornal local que, greve dos professores era balela, só mais uma vez mostrando sua falta de comprometimento com a Educação local. Ainda o mesmo acrescentou: “EU MANDO E OS PROFESSORES OBDECEM”.

A greve foi deflagrada em 24 de fevereiro de 2014. A partir dessa data o comando de greve, formado por vinte professores, percorreu grande parte das escolas da rede fazendo piquetes nas entradas das mesmas e dialogando com os docentes para que aderissem ao movimento.

Do ponto de vista da mobilização, os professores realizaram dezenas de protestos (passeatas, panfletagens, ocupações, etc) informando a população sobre as razões do movimento grevista. Cabe ressaltar, sobre esse tema, que no dia 11 de março os grevistas fizeram um protesto na Câmara Municipal, provocando o encerramento da sessão legislativa e abrindo uma plenária popular nas dependências da câmara de vereadores.

No dia 17 de março o Tribunal de Justiça de Pernambuco decreta a ilegalidade da greve. Oito dias depois, os docentes decidem, mesmo com a ilegalidade, manter a greve.

Como forma de retaliar o movimento a prefeitura anunciou algumas medidas: Contratação de professores para substituir os grevistas, abrir procedimento administrativo para exonerar os docentes, pois, segundo a prefeitura, a decisão da categoria pela manutenção da greve, significa “uma afronta ao estado democrático de direito”. Mesmo com todas as ameaças, os professores, em mais uma assembleia, deliberam pela continuidade do movimento.

Novamente, o poder executivo municipal parte para a ofensiva e, sem comunicação prévia, corta os salários dos grevistas, impede os docentes de solicitarem a margem consignável para obterem empréstimos e não repassa a contribuição sindical. Além disso, solicita à justiça uma multa diária de quinhentos mil reais para o sindicato pelo descumprimento da liminar que decretou a ilegalidade da greve.

Em reação à ofensiva da prefeitura os professores, mesmo com os salários cortados e a greve na ilegalidade, mantém o movimento paredista e realizam um protesto em frente a secretaria de administração.

No dia 04 de abril, em reunião do comando de greve, fica definido que o movimento grevista realizará as Plenárias Populares da Greve, que ocorrerão em comunidades da periferia da cidade, em parceria com as associações. Na oportunidade, os docentes poderão explicitar para a população, especialmente pais e mães de alunos matriculados na rede municipal, os motivos da greve.

No dia 09 de abril, quando se completaram 45 dias de greve, os docentes realizam mais uma assembleia, onde deliberaram pela continuidade da greve. Em seguida, ocuparam o saguão de entrada do prédio da secretaria municipal de educação, afirmando que só deixariam o local após serem recebidos pelo secretário de educação. Após quatro horas de ocupação, os professores foram recebidos pelo referido secretário e ratificaram a posição de que só retornam às atividades quando a pauta de reivindicação (revisão do PCC; atualização Lei do Piso e reestruturação emergencial das escolas) for atendida.

Em 15 de abril os docentes, em assembleia, decidiram pela manutenção da greve, que já dura 60 dias.

 

Reprodução: Site do Sismuc

 

 

Notícia - 24/04/2014 -  (R©)
Resultado da assembleia

 

Terminou agora há pouco mais uma assembleia dos professores da rede municipal de ensino de Caruaru. Por unanimidade, os docentes decidiram pela manutenção da greve por mais 30 dias. No encontro foi analisada a reunião entre professores e secretaria de Educação, realizada ontem na sede do Ministério Público.

Na ocasião, houve a tentativa de acordo, mas o impasse segue, como explica o presidente do Sindicato do Sindicatos dos Servidores Municipais de Caruaru, Eduardo Mendonça. “A greve não acabou porque a prefeitura não demonstrou até agora interesse em resolver o problema. Tem sido conveniente ao poder público municipal justificar a falta de professor, de merenda escolar, de material didático e de estrutura nas escolas com a greve dos professores, ou a greve tem servido como cortina de fumaça para estas situações”, disse.

 

Reprodução: Site do Sismuc

 

A nova assembleia foi marcada para o dia 30 de abril as 13 h na união beneficente.

 

Notícia - 22/04/2014 - Atualizado 23/04 - Clique aqui para comentar esta notícia
Prefeitura envia resposta  à justiça no último dia do prazo

 

Prefeitura preocupada com a educação? Não, ela entregou no último dia do prazo a resposta para o andamento do processo de greve. Foi registrado no site do TJPE o andamento do processo no início da tarde. Agora é aguardar a decisão do desembargador.

 

 

 

Atualização 23/04

 

 

 

 

Notícia - 22/04/2014
Resultado da assembleia

 

Na manhã desta terça (22) os professores se reuniram em assembleia para saber das últimas informações sobre o andamento da greve. O comando de greve aguarda a publicação no diário oficial de Pernambuco de recomendações do Ministério Público para a prefeitura, que vai tratar dos diversos assuntos da grave, como condições de trabalho, estrutura das escolas, Piso Nacional e descontos. Outro ponto, o Sismuc vai reunir-se com o Bispo Don Dino para falar sobre o movimento.

 

Até o final da assembleia o processo que está no TJPE ainda não tinha sido atualizado com a resposta da prefeitura, que veio a acontecer agora no inicio da tarde. Uma nova assembleia foi marcada para a próxima quinta-feira dia 24, para fechar o ciclo de 30 dias de greve e reabrir um novo ciclo de 30 dias. A assembleia acontece novamente na União Beneficente as 9h.

 

 

 

Notícia - 22/04/2014 -  (R©) - Clique aqui para comentar esta notícia
Atec divulga carta a imprensa

 

ENFIM, A PREFEITURA DE CARUARU ADMITE QUE OS PROFESSORES ESTÂO CERTOS.

No dia 11 de abril, foi publicada no diário oficial do município uma Portaria que decreta situação de emergência na cidade de Caruaru. No mesmo momento, o executivo municipal anunciou que irá realizar reformas emergenciais nas unidades escolares. Esse fato retrata a preocupação do prefeito com a situação das escolas? Não! Na verdade, o que, de fato, está ocorrendo é que a pressão exercida pelo movimento dos professores começa a surtir efeito e que, mesmo não admitindo, a prefeitura age no sentido de atender um dos aspectos mais problemáticos das escolas municipais: as condições precárias das estruturas físicas. Para efeitos de comprovação, basta lembrar que, no dia 14 de março desse ano, o Comando de Greve realizou uma entrevista coletiva, onde demonstramos através de relatório contendo uma infinidade de dados, bem como várias imagens, a real situação das escolas da rede municipal de Caruaru.

Nesse sentido, as reformas emergenciais anunciadas pela prefeitura são, na verdade, a primeira vitória da greve dos professores. Mesmo sem ter essa intenção e admitindo que os problemas de estrutura física não são “pontuais”, como afirmava a prefeitura, a medida do executivo acaba reconhecendo a legitimidade do nosso movimento, confirmando o que já vimos dizendo há muito tempo: a luta dos professores não é, apenas, por melhores salários. É, sobretudo, por dignidade, respeito e valorização profissional. Por isso, exigimos condições básicas de trabalho, merenda de qualidade para nossos alunos e escolas em boas condições de funcionamento.

Continuaremos na luta, pois essa é apenas a primeira vitória da nossa greve. Ainda temos muito a (re)conquistar, mas, agora, muito mais fortalecidos, pois estamos conscientes de que nossos alunos terão escolas em melhores condições e isso é fruto da nossa luta. Assim sendo, cada gota de suor, cada lágrima derramada até agora não tem sido em vão.

Viva a luta dos professores de Caruaru!

Caruaru, 21 de abril de 2014.

Diretoria da Associação dos Trabalhadores em Educação de Caruaru – ATEC.

 

Reprodução: Atec

 

 

Notícia - 21/04/2014 -  (R©)
Assembleia

 

Nesta terça-feira, 22, às 9h, tem nova assembleia dos Servidores Públicos da Rede Municipal de Ensino nas dependências da União Beneficente dos Artistas de Caruaru. Será mais um momento promovido pelo SISMUC REGIONAL que estará informando a categoria sobre os últimos acontecimentos realizados pelo comando de greve.

 

Reprodução: Sismuc

 

Notícia - 16/04/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Prefeitura não está preocupada com os 50 dias de greve

 

Se você precisasse dar uma resposta para acabar com a greve dos professores que chegou a 53 dias, e lhe dessem um prazo de 10 dias para dar essa resposta, o que você faria? Daria a resposta no primeiro dia ou só no último dia do prazo?

Qualquer pessoa que esteja preocupada com o tempo que a greve já alcançou diria que no primeiro dia, mas não é o que pensa o prefeito de Caruaru José Queiroz.

Desde o último dia 10 a prefeitura foi notificada para dar uma resposta no julgamento do agravo que está no Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) (foto), essa resposta pode determinar o fim da greve, mas sabendo que pode ter uma decisão desfavorável, a prefeitura prefere dar a resposta no último dia do prazo, já se passaram seis dias, corridos, e o prazo encerra na terça-feira 22 de abril, não contando os feriados. Esperar pelo último dia é estar preocupado com a educação municipal? A prefeitura quando faz isso está preocupada com os alunos e a reposição das aulas?

Após receber a resposta do prefeitura, o desembargador que analisa o agravo, vai precisar de mais dias para dar seu parecer, e não há um prazo estabelecido, a prefeitura vai fazer a greve passar dos 60 dias e dependendo, superar a maior greve da história de Caruaru, que durou 72 dias e foi feita pelos agentes da Destra.

 

 

 

 

Notícia - 15/04/2014 (R©) - Clique aqui para comentar esta notícia
Rita Freitas - Eu apoio a greve dos professores do município

O direito de greve é um direito constitucional que jamais foi regulamentado. Compete ao Judiciário decidir se uma greve é ou não legal. Para ser legal, uma greve pertinente a serviços essenciais não pode parar a categoria totalmente, existindo um quórum mínimo que deve continuar trabalhando. O que são então serviços essenciais? A Lei 7783/89 em seu art. 10 determina o que são serviços essenciais e a educação não figura entre eles.
No entanto quando os professores paralisam as suas atividades as pobres mães desesperadas se perguntam: "O que faço agora para trabalhar?" Dificilmente perguntam sobre a qualidade e as condições de educação que seu filho recebe. Se assim questionassem, estariam nas ruas ao lado dos professores e esse país não teria uma educação tão negligente como temos hoje. Não educar as nossas crianças significa condenar o futuro à incompetência, impedindo o crescimento delas como pessoas e da localidade em que residem. Por que o Sul e Sudeste têm a maior parte do PIB brasileiro? Por que o Norte e o Nordeste tem o pior? Porque crescimento regional tem uma relação direta com a educação. Em que locais ficam as universidades de ponta nesse país, em sua grande maioria? Mas o ensino das nossas crianças começa com o fundamental.

A nossa prefeitura afirma, com razão, que paga além do piso nacional da categoria, que fechou 2013 em R$ 1.567,00. Por favor, senhores políticos, lhes desafio a viverem com isso. Para sobreviver de forma digna, os professores têm dois ou mais empregos e são vítimas da falta de valorização profissional, sofrendo de estresse, síndromes do pânico, depressão, perda da capacidade vocal, entre outras patologias inerentes à profissão. Por trabalharem demais, os nossos professores não conseguem a mesma qualidade de aula, pois com o tempo a memória falha, o cansaço chega e os problemas de saúde também.

Em Caruaru, além do todos os problemas da categoria, ainda temos os adicionais: um PPC feito às surdinas, fazendo com que o que deveria ser uma conquista da categoria se tornasse em um pesadelo. Professor tem que ter estabilidade, tem que ter boas condições de trabalho, tem que ter salário que lhe permita viver bem, tem que continuar se aprimorando para dar a aula que nossas crianças precisam e merecem. Essa semana iniciou-se um movimento nas redes sociais de apoio à greve para forçar a prefeitura a negociar com a categoria de forma razoável.

Eu fui aluna do Colégio Municipal Álvaro Lins nessa cidade, tive bons professores, como Ana Maria Barros, Arnaldo Dantas, Ranieri, Osvaldo Brito, João Carlos, Djan, Carlos, Eduardo Mendonça, entre outros. Essas pessoas fizeram toda a diferença na minha vida e são partes do que sou hoje. Sou da época do Municipal que aprovava no vestibular como uma escola particular de renome. Mas a educação púbica de qualidade só é possível quando os docentes têm como trabalhar e são justamente recompensados pelo seu trabalho. Foi por essas faltas de condições que pedi exoneração do ensino fundamental em 2007, infelizmente desisti e hoje estou no ensino superior, que recebe os ex-alunos do fundamental em uma triste realidade de déficit educacional em círculo vicioso que parece não ter fim por falta de vontade política.

 

Rita de Cássia Souza Tabosa Freitas é advogada e professores de Filosofia.

Reprodução (R):  ©Jornal Vanguarda

 

 

Notícia - 15/04/2014 (R©) - Clique aqui para comentar esta notícia
Resultado da assembleia

 

Os Servidores Públicos da Rede Municipal de Ensino já completam 50 dias fora das salas de aula, lutando por melhores condições de trabalho e mais respeito ao Sistema Educacional do Município por parte do Chefe do Executivo, que ainda não teve sensibilidade de receber a categoria para tratar dos seus anseios e tentar por fim ao movimento grevista dos professores de Caruaru. Para marcar o momento, os docentes participaram de mais uma Assembleia Geral Extraordinária promovida pelo SISMUC REGIONAL, na tarde desta terça-feira, 15, nas dependências da União Beneficente dos Artistas de Caruaru.

O Presidente do SISMUC REGIONAL Eduardo Mendonça, informou a categoria que não adianta ficar criando expectativa sobre o andamento da luta que continua sendo travada com o Executivo Municipal, já que não existe nenhuma sinalização de negociação. “Nós tivemos uma reunião com o Secretário de Educação de Caruaru, Antônio Fernando, em que pensamos ter sido o início de uma nova Era de Negociação, mas, outra vez nos enganamos, pois todos os assuntos discutidos por nós foram distorcidos, pois todos os pontos que foram abordados para a construção de um relatório a ser enviado às escolas desde a última segunda-feira, 14, não foram respeitados. “Houve uma quebra de acordo do secretario Antônio Fernando que faltou com respeito à categoria e principalmente ao comando de greve quando alterou o relatório sem o nosso consentimento”, apontou Mendonça.

Eduardo Mendonça destacou ainda que o SISMUC REGIONAL estará disponibilizando um ônibus para realizar uma excursão na próxima quinta-feira, 17, com saída às 13h, da sede do sindicato com destino à Fazenda Nova, para aproveitar a presença dos mais diversos turistas que vão à Nova Jerusalém acompanhar a encenação da Paixão de Cristo e apresentarmos o martírio em que vive a Educação de Caruaru. “O momento é bastante oportuno para mostrar a Via-crúcis dos batalhadores da Rede Pública Municipal de Ensino, pois é um caminho árduo, doloroso e muito difícil de ser percorrido”, lamentou Mendonça.

Por fim, o comando de greve convocou a categoria de educadores para se fazer presente na noite desta terça-feira, 15 , na Universidade Federal de Pernambuco quando será realizado um trabalho de panfletagem fazendo referência as causas do movimento grevista. Na ocasião estará sendo realizada na UFPE, palestra sobre os 50 anos do Golpe Militar no Brasil. Próxima assembleia ficou agendada para às 9h da terça-feira, 22, nas dependências da União Beneficente dos Artistas de Caruaru.

 

Reprodução (R): © Sismuc

 

 

Notícia - 15/04/2014 (R©) - Clique aqui para comentar esta notícia
Juiz defere liminar e autoriza repasse de descontos de associados para Sismuc

 

Saiu agora há pouco a decisão em caráter liminar do Juiz da segunda Vara Cível de Caruaru Jefferson Félix. Ele acatou o pedido do Sismuc para ser ordenado o desconto em Folha do Pagamento do repasse da Contribuição Associativa dos servidores ao Sindicato. A decisão faz referência ao mês de abril e não é retroativa a março. O presidente do Sismuc, Eduardo Mendonça comemorou a decisão.

“O prefeito fez isso para inviabilizar o Sindicato, mas o Juiz entendeu que a ação do Executivo é abusiva. O repasse é constitucional e o Juiz entendeu isso”, disse. A decisão diz ainda que se a prefeitura não atender a determinação vai ter que pagar uma multa de R$ 1 mil por dia.

 

 

Reprodução (R) : © Blog do Mário Flávio

 

 

Notícia -  14/04/2014

Diário da Greve


Pela manhã, membros do comando de greve foram até a secretaria de educação para cobrar o envio às escolas de documento formulado em reunião na última sexta-feira.

No início da tarde, os professores retornaram à referida secretaria com o mesmo intuito. Não sendo atendidos no seu objetivo, deixaram o local e se dirigiram a sede do sindicato. Em seguida, iniciou-se a reunião de avaliação, onde foram traçadas novas estratégias para o movimento grevista. No final da reunião uma ótima notícia: após contato telefônico com membros do comando de greve, dezoito professores que haviam desistido do movimento voltaram a participar da greve, reforçando ainda mais nossa mobilização.

À noite, realizamos mais uma plenária’ popular da educação, dessa vez no Alto do Moura. O encontro contou com a presença de dezenas de moradores da comunidade, que foram informados sobre os motivos da nossa greve. Os moradores fizeram uso da palavra e afirmaram, de forma entusiasmada, seu apoio ao nosso movimento.

 

 

Notícia - 14/04/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Greve chega aos 50 dias

 

Ninguém esperava, mas a greve dos professores chegou aos 50 dias. 50 dias de greve da educação não é problema que mereça tanta atenção,  mais de 35 mil alunos sem aula não é um problema tão grave,

escolas sem condições de aula não é um problema urgente , alunos sem água potável para beber não é um problema tão grave, professores sem salário não é um problema urgente. Se não há problemas realmente urgentes, melhor ir descansar o feriadão na Suíça.

 

 

Ensaio - 12/04/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
A Terra de Caruaru de José Condé e a Caruaru atual, algumas (dis)semelhanças. Prefeitura versus Professores Grevistas

 

             Aquando da elaboração de um artigo científico sobre a obra Terra de Caruaru de José Condé, a ser publicado, no segundo semestre do ano corrente, numa revista de estudos literários, deparei-me com uma afirmação confessa do autor, no prefácio que fez à primeira edição desta obra, em 1960, sustentando que este seu romance não retrata nenhum pessoa viva ou morta, mas que “pretende ser o retrato de um tempo que não existe mais”. Contudo, os fatos ali arrolados, numa distante Caruaru entre o final do século XIX e começo do XX, evocam várias problemáticas que envolvem ainda hoje o cenário político e cultural caruaruense, e por isso me senti tentado a escrever este curtíssimo ensaio – apesar de, há quase uma década, estar distante desta cidade, que não corta o cordão umbilical com seus filhos, como aditou Anastácio Rodrigues – como apoio e homenagem à causa dos professores grevistas do município.

            Terra de Caruaru de José Condé narra, em sua essência, a disputa pelo poder, baseada em formas repressivas, contraditórias, e historicamente validadas por figuras, geralmente de políticos, coronéis e delegados, que instituem, efetivamente, através dos seus cargos, várias formas de controle e de poder. Esse “poder instituído” pode ser observado, na obra condeana, dentro de várias relações entre as personagens principais e secundárias, numa troca de favores e conchavos que procura, sobretudo, satisfazer o bel-prazer individual, esquecendo-se, muitas vezes, de favorecer o coletivo. Tais relações também demonstram, a nível discursivo, a falta de diálogo entre as personagens que detêm esse poder, visto que suas frases são, geralmente, curtas e diretas, imprimindo uma mensagem enfática aos seus interlocutores – como um veredito que não deve ser questionado, validando e reconhecendo quem reprime ou intimida mais o outro.

           Ou seja, trazendo o exemplo literário para atualidade: de um lado, temos a Prefeitura de Caruaru (isto também quadra aos outros prefeitos que comandaram a cidade), e do outro, os professores, que há décadas lutam por melhorias no ensino e no reconhecimento de uma profissão de suma importância para o desenvolvimento da nossa cidade. Lembremos: o nosso romancista muito bem expressou na sua obra a importância, para a cidade, da formação adequada dos filhos da terra – por exemplo, na passagem do diálogo entre Teotônio e Antônio, que relata a necessidade de enviar os filhos para estudar na capital, tendo em conta que a cidade de Caruaru não ofereceria condições de estudo nem de formação de profissionais que viessem ajudar na melhoria da condição de vida dos seus habitantes: “O que a cidade for no futuro, terá sido consequência do trabalho que estão fazendo hoje os homens de minha idade; porque ganham dinheiro com algodão e mandam os meninos como você estudar fora” (p.128).

           Contudo, observa-se que o discurso do movimento grevista dos professores dessa vez não apenas discute e reivindica um aumento salarial, mas algo muito mais profundo e problemático: um Plano de Cargos Carreira (PCC) dos professores, que foi aprovado quase na “calada da noite”, numa sessão extraordinária ocorrida a 31 de janeiro de 2013, a qual, certamente, não chamaria a atenção das partes envolvidas, já que muitos estariam ainda num período de férias letivas ou voltando delas. Nessa reunião foi aprovado, por uma Câmara (na qual alguns vereadores foram afastados dos seus cargos, acusados de corrupção, por cobrarem propinas, permanecendo outros ainda sob investigação em 2014, e mesmo assim ainda recebendo os seus vencimentos), o projeto – que um deles confessou abertamente não ter lido (ver site: http://blogdomarioflavio.com.br/vs1/tag/pcc/page/6/ ) – de um texto que tenta acabar com qualquer tipo de formação e incentivo para a carreira dos docentes caruaruenses.  E antes que me digam que eu não li esse PCC e que não sou especialista em pedagogia – claro, meu campo de investigação é o dos estudos literários, mas não é preciso ser nenhum expert para perceber que se passa algo de errado – professores gabaritados no assunto, como Tânia Bazante e Arnaldo Dantas (ver site: http://www.sismucregional.com.br/lernoticia.asp?idn=365), proferiram alocuções, num seminário aberto ao público, no dia 21 de março, explicando detalhadamente como esse PCC vem desonestamente e escabrosamente interferir na carreira de docente na cidade de Caruaru.

            Se de um lado encontramos um prefeito e uma secretaria de educação que fundamentam o seu discurso numa relação autoritária, afirmando a supremacia de suas palavras e de seu poder – posicionamento reafirmado a tal modo que validaria, por exemplo, a falta de representante por parte da secretaria de educação de Caruaru em uma reunião com o Ministério Público da cidade, recusa essa que demonstra falta de traquejo para repensar certas atitudes –, por outro lado, encontramos um corpo docente grevista que procura, dentro de um discurso alteritário, formas de dialogar com aqueles que insistem em que o seu poder é instituído e o único válido. A atitude da prefeitura me lembra uma personagem condeana, Ariosto Ribas, cujo momentâneo poder político de controle sobre a Caruaru retratada por Condé o faz acreditar na sua supremacia ditatorial. Ainda bem que os tempos vêm mudando! Isto quer dizer que o que se discute nesta greve é algo mais do que um aumento salarial – trata-se das formas arbitrárias como literalmente tentam acabar com a carreira do profissional em educação e do descaso, como dizem os blogs e jornais da cidade, das escolas em péssimas condições materiais e indignas de trabalho.

           Voltando ao meu campo de pesquisa, os estudos literários: Terra de Caruaru de Zé Condé retrata uma cidade que necessita se desenvolver, visto que ainda é tratada pelos que ali comandam como “terra”, quase que como uma disputa de sesmaria, e não como cidade. Entretanto, passadas décadas, muita coisa mudou, independentemente dos partidos políticos ou governantes que aqui estiveram. No entanto, os que aqui atualmente governam parecem não se aperceber que sem a procura de destituição de formas de poder baseadas em antigos preconceitos, e sem investimento maciço em educação (formação dos profissionais, progressão na carreira, salários condignos, melhoramento e ampliação de espaço físico, etc.), a cidade nunca se desenvolverá plenamente. Entendo que a reivindicação dos professores grevistas se baseia em fundamentos coesos e incisivos, não apenas visando a atual condição dos profissionais em educação, mas também defendendo os futuros educadores. Lutando por esse direito, esses professores realmente parecem viver uma frase emblemática da obra Terra de Caruaru, por haver em seus discursos algo muito maior do que a busca por condições financeiras e dignas: por se assumirem cidadãos conscientes do seu dever como caruaruenses. Por isso, creio que esses profissionais comungam com Condé a seguinte sentença sobre a cidade de Caruaru, mesmo em meio a tantas injustiças: “Amo-a mesmo nos seus defeitos, que é a maneira mais acertada de amar” (p.88). É justamente por amar Caruaru que a luta de vocês se faz presente.

 Lisboa, 7 de abril de 2014

Professor Doutor Fabio Mario da Silva

Pós-doutorando da Universidade de São Paulo

Pesquisador do Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias (CLEPUL) e do Centro de Estudos Clássicos (CEC) da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, do Centro Internacional e Multidisciplinar de Estudos Épicos (CIMEEP) da Universidade Federal de Sergipe e do CNPq.

 O Site Professores de Caruaru agradece a colaboração do Professor Fábio Mario da Silva

 

 

Notícia - 12/04/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Campanha de apoio aos professores tem fotos dos turistas na feira de Caruaru

 

Dezenas de pessoas tiraram fotos para a campanha "Eu apoio a luta dos professores de Caruaru", hoje, muitos turistas que estavam na feira de artesanato colaboraram com o movimento, além das fotos abaixo, centenas estão na nossa página no Facebook.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Notícia - 10/04/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
E agora, será que o prefeito vai dizer que o MEC está acéfalo?

 

No dia 22 de fevereiro de 2013 o prefeito de Caruaru, José Queiroz, deu uma entrevista onde dizia que a prefeitura não era acéfala quanto aos benefícios do PCC e que o mesmo já tinha sido discutido a mais de um ano e meio, como pode ser ouvido no vídeo abaixo.

 

Mas hoje, o Blog do Mário Flávio divulgou uma consulta ao Ministério da Educação, onde o texto mostra que a luta dos professores não foi em vão, que o PCC é irregular e que não é permitido incorporar gratificações nem tão pouco deixar de repassar o reajuste anual, pois é Lei e a Lei federal tem que ser cumprida.

 

Veja a matéria publicada hoje e o vídeo logo a seguir.

 

Blog do Mário Flávio

 

Diante da crise vivida atualmente pela educação municipal o blog fez uma consulta ao Ministério da Educação. Em pauta, vários assuntos, entre eles: a situação dos salários dos professores de Caruaru que pedem o reajuste de 8,23% nos salários, além da incorporação da gratificação de regência, bem como a possível congelamento do salário dos docentes para os próximos anos, como afirmam os grevistas. A prefeitura alega que já paga acima do piso nacional e por isso não se vê na obrigação de promover o aumento, situação contemplada pelo PCC da categoria, aprovado em 31 de janeiro de 2013 e motivo de entrave entre docentes e Executivo Municipal.

Segundo o MEC, a prefeitura não pode usar essa justifica para não efetuar o reajuste, já que desde a implantação da Lei do Piso que o aumento deve ser anual, independente da incorporação da regência ao salário, como prega o PCC.

O Ministério diz ainda que não pode agir nesse caso como mediador de conflitos e diz que os professores devem procurar a justiça para resolver o caso. Segue abaixo a íntegra do texto enviado pelo Ministério da Educação:

“A estruturação de carreiras e de remuneração do servidor é de prerrogativa dos estados, municípios e do Distrito Federal. A Lei do Piso determina o cumprimento do seu valor como vencimento básico para os profissionais de nível médio modalidade Normal para uma jornada de 40 horas semanais. Todas as normas sobre remuneração, para além disso, deverão estar previstas em legislação específica do ente federativo

A integralização do valor do piso salarial deu-se a partir de 1º de janeiro de 2010. Desde essa data não há mais possibilidade de somar as gratificações ao vencimento básico para obter o valor do piso.

Nesse caso, devem ser resguardadas as vantagens daqueles que percebem valores acima do referido na Lei do Piso. Tudo de acordo com as condições estabelecidas no Plano de Cargos e Salários dos profissionais do magistério, vigente no estado (ou município).

O piso salarial profissional nacional do magistério público será atualizado, anualmente, a partir de do mês de janeiro, conforme prevê a Lei nº 11.738/2008. Como se trata de uma lei federal ela tem que ser cumprida pelos entes federativos.

Sugere-se que se faça uma reclamação ou pedido de esclarecimento junto à respectiva unidade pagadora (Secretaria de Educação, Secretaria de Planejamento, Secretaria de Administração ou órgãos de controle), de acordo com seus próprios regimentos. Por outro lado, ressalta-se que o Ministério da Educação ou qualquer dos órgãos a ele vinculados não se constitui em instância recursal de caráter jurisdicional.

Entretanto, cabe ressaltar que todas as tentativas na esfera administrativa não afastam a instância judicial. Portanto, para defesa dos direitos dos cidadãos, estes podem procurar também o Poder Judiciário, bem como o Ministério Público Estadual, as Câmaras Municipais ou Assembleias Legislativas e os Tribunais de Contas Estaduais ou Municipais”.

 

 

 

 

 

 

Notícia - 10/04/2014 -  Clique aqui para comentar esta notícia
Veja o vídeo que mostra o secretário de educação com os cartaz "Eu apoio a luta dos professores de Caruaru"

 

 

 

 

 

no vídeo abaixo a imagem foi invertida para melhor visualização e inicia  em um ponto mais próximo de onde foi feita a captura da foto.

 

 

 

 

 

Notícia - 10/04/2014  - Clique aqui para comentar esta notícia
Prefeito fala, mas não mostra qual professor de sala de aula ganha R$12 mil

 

Mais uma vez o prefeito de Caruaru, José Queiroz, foi a imprensa dizer que os professores ganham de R$ 2 mil a R$ 12 mil. A conta não bate, até a aprovação do PCC em janeiro de 2013, nenhum professor do município poderia ter uma carga horária maior que 300 h/a, o PCC não permitia e até hoje, desconhecemos quem tem 400 h/a, pois a secretaria proibiu que a maioria dos novos concursados pegassem 200 h/a, então a maior carga horária atual do município é de 300 h/a.

No PCCDR 2013, um professor com 150 h/a, independente de ser professor 1 ou 2, se estiver com 30 anos de município e sua titulação for de Doutorado (este é o último nível que o pcc admite) ele ganhará   um    salário    de   R$ 5.090,84, se ele também possuir um segundo concurso, ou seja, mais 150 h/a, o valor dobra R$ 10.181,68, mas isso é impossível de acontecer, um professor ter 2 concursos com mesmo valor, porque, depois do concurso de 2009, os mais próximos só aconteceram em 2006 e em 1998, o que garante que nenhum professor de sala tem salário perto de R$ 10.000,00, e mais ainda, no município, não há mais que 5 professores com Doutorado, e nenhum deles com 2 concursos.

Em sala de aula, nenhum professor ganha R$ 12 mil como afirma o prefeito, e todos os outros cargos, são comissionados, recebem gratificação. Talvez estejam nos cargos de confiança do prefeito os famosos salários de R$ 12 mil.

A tabela abaixo mostra o valor de um professor com 150 h/a até os 30 anos de carreira e com doutorado. Este valor é o mesmo para o Professor 2 que também tenha 150 h/a.

 


 

Notícia - 09/04/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Professores decidem em assembleia por continuar em greve

 

No dia em quê a educação completa 45 dias de greve do município, os Servidores Públicos da Rede Municipal de Ensino estiveram participando nas dependências da União Beneficente dos Artistas de Caruaru, de Assembleia Geral Extraordinária promovida pelo SISMUC REGIONAL. Na ocasião os docentes foram informados sobre o andamento das negociações, em que pé andam as ações judiciais e os últimos acontecimentos realizados pela comissão de greve.

Na assembleia, o Presidente do Sismuc, Eduardo Mendonça informou que o Tribunal de Justiça de Pernambuco abriu Vistas à prefeitura, para que ela possa se pronunciar sobre o Mérito da Ação que liminarmente decretou a greve ilegal. “Vamos aguardar uma resposta da justiça, valendo lembrar que realizamos várias reuniões durante este período com Ministério Público e representantes da prefeitura de Caruaru e nenhuma proposta foi lançada pelo Poder Executivo para nossa categoria, então não houve nenhum acordo e a greve continua”, lembrou Mendonça.

Os educadores foram informados sobre a criação de um movimento denominado de Plenárias Popular da Educação. A meta é ir aos bairros e mostrar o que existe na educação municipal e os motivos da paralisação já durar tanto tempo. O primeiro bairro a ser visitado será o Severino Afonso, nesta quinta-feira, 10. O encontro vai acontecer na a recém-inaugurada sede da associação dos moradores do bairro. Já na sexta-feira, 11, será realizada a segunda plenária no Bairro José Liberato.

Por fim, os professores decidiram por unanimidade em manter a greve, em seguida se deslocaram até a Secretaria de Educação do Município para fazer uma ocupação do local e apresentar o movimento grevista ao novo gestor Antônio Fernando. Também ficou decidida a realização de uma panfletagem na Feira de Artesanato no Sábado, 12, no Parque 18 de Maio. Próxima assembleia está marcada para a próxima terça-feira,15, na União Beneficente dos Artistas de Caruaru.

 

Fonte: Sismuc

 

 

Notícia - 09/04/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Professores se reuniram com secretário de educação Antônio Fernando

 

Os professores da rede municipal de ensino terminaram a Assembleia da categoria e se dirigiram até a sede da secretaria de Educação. Eles aguardam uma audiência com o recém-empossado secretário Antônio Fernando. Na Assembleia, os docentes decidiram manter a greve da categoria que já dura 45 dias. Logo cedo por meio de nota, a prefeitura de Caruaru informou que alguns professores grevistas estão voltando as aulas, situação negada pelos líderes do movimento paredista. Segue a íntegra da nota:

“Levantamento realizado pela Secretaria de Educação mostra que até o início desta semana mais de 40 escolas da rede municipal de ensino estão funcionando na sua totalidade. Nas outras unidades, os professores estão voltando gradualmente ao trabalho.

Os pais devem encaminhar seus filhos e levá-los diretamente aos gestores, que os conduzirão para as atividades pedagógicas e recreativas”.

 

Após ficarem acampados na sede da secretaria de Educação e afirmarem que só sairiam com a chegada do novo secretário de Educação, os professores da rede municipal de ensino tiveram o pleito atendido. Antônio Fernando chegou há pouco e recebe os líderes do movimento paredista. É a primeira reunião entre os docentes e o comandante da Pasta. Por enquanto (15h) o secretário ouve as reivindicações dos professores que estão há 45 dias em greve.

 

Fonte: Blog do Mário Flávio

 

Atualização 18h (09/04/2014)

 

Terminada a reunião o foco foi direcionado as questões pedagógicas. Será feito um documento orientando os gestores sobre como proceder durante a greve, principalmente com relação ao registro de ponto, a pressão que os professores estão sofrendo por parte dos gestores, a reposição de todas as aulas desde o início da greve e estruturas das escolas. As questões financeiras foram discutidas, mas ficou de continuar na sexta.

 

O que mais chamou a atenção dos professores foi a disponibilidade do novo secretário em posar para a foto da campanha  "eu apoio a luta dos professores de caruaru".

 

 

 

 

Notícia - 09/04/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
População adere a campanha "Eu apoio a luta dos professores de Caruaru"

 

Dezenas de fotos estão sendo publicadas nas redes sociais demonstrando apoio a greve dos professores. Em uma folha as pessoas escrevem as frase "Eu apio a luta dos professores de Caruaru".

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Notícia - 08/04/2014  - Clique aqui para comentar esta notícia
Professores vão realizar plenárias para esclarecer a população sobre a greve

 

Os professores da rede municipal de educação seguem sem dar trégua ao Executivo Municipal. Com a greve que já dura 44 dias os docentes criaram o movimento chamado de Plenárias Popular da Educação. A meta é ir aos bairros e mostrar o que existe na educação municipal e os motivos da paralisação já durar tanto tempo. O primeiro bairro a ser visitado será o Severino Afonso, na próxima quinta-feira. O local da reunião será a recém-inaugurada sede da associação dos moradores do bairro.

“Vamos percorrer os bairros para mostrar uma plenária com a participação popular”, disse o presidente de ATEC Fred Santiago.

 

Fonte: Blog do Mário Flávio

 

 

Notícia - 03/04/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Estudante da rede municipal faz apelo ao prefeito para o fim da greve

 

Com quase 40 dias de greve e pensando nos prejuízos que poderá ter neste ano letivo, o estudante, Gabriel Dodson da escola municipal Professor Kermógenes fez um vídeo pedindo ao prefeito José Queiroz que ele resolva a situação da greve.

 

 

 

Notícia - 03/04/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Resultado da reunião com Ministério Público

 

A promotora da educação, Sílvia Amélia, mediou na manhã desta quinta-feira, 03, no Ministério Público, o segundo encontro entre diretores do SISMUC REGIONAL, membros da Atec e representantes da Prefeitura de Caruaru. O momento foi restrito apenas para os negociantes das duas partes, tanto dos Servidores da Educação, quanto da gestão municipal. A presença mais esperada seria a do novo Secretário de Educação do Município, Antônio Fernando, que acabou frustrando os educadores, pois segundo assessoria de imprensa da PMC, não pôde comparecer por ter sido chamado às pressas pelo até então Governador do Estado, Eduardo Campos.

De acordo com Eduardo Mendonça, a grande expectativa da reunião seria o início de uma conciliação entre os Servidores Públicos da Rede Municipal de Ensino e o Executivo Municipal, o que não foi possível acontecer ainda neste momento. “Os avanços não foram os esperados, não mudou quase nada, pois seria a primeira reunião como o novo secretário de Educação, Antônio Fernando, mas ele não compareceu, ficando mais difícil de manter e dar continuidade ao diálogo”, apontou Mendonça.

Eduardo Mendonça inda fez questão de destacar a importância do Ministério Público em tentar resolver e dar um ponto final nesta guerra entre a Educação Municipal e o Chefe do Executivo. “Graças ao empenho e esforço da Promotora Silvia Amélia, que tem sido uma guerreira em defesa das causas dos mais carentes, ficou encaminhado uma possível reposição dos descontos efetuados pela prefeitura dos dias parados pelos professores, bem como a questão do procedimento de forma vingativa por parte da prefeitura em suspender a contribuição associativa, um desconto sindical que é efetivado há mais de 20 anos. Então vamos aguardar a composição da prefeitura junto ao Ministério Público até a próxima terça-feira,08, para resolvermos este problema”, destacou Mendonça.

 

 

Notícia -  02/04/2014

Diário da Greve

Diário do comando de greve dos professores de Caruaru 02/04/2014.

Pela manhã, nos reunimos no sindicato para deliberarmos atividades para o resto da semana e nos prepararmos para a audiência no Ministério Público.
No início da tarde, fomos a uma entrevista na FM 102. Na oportunidade, informamos a toda população caruaruense as razões de nossa greve e as manobras covardes da prefeitura na tentativa de barrá-la.
Durante o período da tarde, continuamos reunidos na sede do sindicato onde recebemos a informação que havia uma publicação, no diário oficial do estado, sobre as condições precárias de algumas escolas da rede municipal, em uma ação movida pela promotoria de educação, infância e juventude.

 

Notícia - 02/04/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Em Caruaru, MPPE ingressa com inquéritos civis para investigar problemas na educação municipal

O Ministério Público de Pernambuco publicou no Diário Oficial uma série de ações solicitando a instalação de inquéritos civis sobre fatores delicados da educação municipal. Segundo a promotora de Justiça de Defesa da Cidadania de Caruaru, Silvia Amélia, investigações devem ser feitas para apurar possíveis irregularidades em escolas do município.

Entre os problemas apontados uma agressão/bulliyng no interior da Escola Cezariana. A falta de estrutura de unidades também será alvo de inquérito civil. Na escola José Clemente de Souza, localizado na Zona Rural de Caruaru, foi aberto processo para analisar o espaço físico inadequado, funcionando em vários prédios (anexos), e segundo o MPPE, não havendo fornecimento de água, esgoto sanitário por meio de fossa, “o que deixa mau cheiro nas salas de aula, não há espaço para recreação, atividades esportivas e refeitórios entre outros”, diz trecho da ação.

Também foi aberto procedimento preliminar de investigação para apurar possíveis atos infracionais e agressões de crianças ocorridos no interior da Escola Leudo Valênça. A situação Pedagógica também será alvo de investigação, como é o caso da Escola Duque de Caxias. A falta de aulas nos anexos na Escola Pedro de Souza e a ausência de vigilantes estão sendo questionadas. A análise da estrutura física da creche da Escola Duque de Caxias (CEMEI – Maria do Carmo Queiroz) também será feita. Em alguns casos, a prefeitura terá 10 dias para enviar as informações sobre os questionamentos.

Fonte: Blog do Mário Flávio

Veja os inquéritos publicados no Diário Oficial de Pernambuco

Notícia - 02/04/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Estudantes vão pedir transferência para outra rede de ensino

Na próxima sexta-feira (04) a greve dos professores vai completar 40 dias, é a maior greve da história da educação em Caruaru, e tudo porque a prefeitura não quer negociar.

Diante deste impasse, alunos da rede já informaram por meio das redes sociais que vão pedir ou já pediram transferência para outras redes de ensino. Os alunos dizem que não aguentam mais esperar e que podem ser prejudicados se a greve continuar.

O professores vem tentando negociar com a prefeitura, mas sem sucesso, a única reunião que poderia terminar com a greve aconteceu por intermédio do ministério público, a pedido dos professores, no dia 16/03, pois a prefeitura se recusava a negociar. A reunião acabou sem nenhum avanço, pois os representantes da prefeitura não foram autorizados pelo prefeito a negociar.

Amanhã (03/04) às 8:30, uma segunda reunião, novamente convocada pelo Ministério Público, vai tentar chegar a algum acordo, pois a prefeitura se nega a negociar diretamente com os professores.

 

 Notícia - 31/03/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Promotora Sílvia Amélia quer promover nova reunião de negociação

Mais uma vez a promotora Silvia Amélia quer tentar promover uma reunião entre professores e prefeitura para tentar acabar com a greve que já chegou a 37 dias de paralisação.

A nova reunião de mediação já está pré-agendada para a próxima quarta-feira (02/04), e será confirmada amanhã (01/04). A nova tentativa do ministério Público foi anunciada depois que os professores fizeram a denuncia dos descontos no pagamento do mês de março.

Com o auditório do MP lotado pelos professores, a promotora mais uma vez disse que o "objetivo é tentar um acordo [entre professores e prefeitura], garantir o direito a educação, garantir a valorização dos profissionais do ensino, eu sei que vocês tem o direito a está valorização e isso, inclusive, é um direito do aluno, é um direito do aluno ter um professor valorizado."


Notícia - 31/03/2014 -
Clique aqui para comentar esta notícia
Professores denunciam prefeito ao Ministério público

SISMUC REGIONAL promoveu na tarde desta segunda-feira, 31, nas dependências da União Beneficente dos Artistas, mais uma Assembleia Geral Extraordinária com os Servidores Públicos da Rede Municipal de Ensino. Em greve desde o dia 24 de fevereiro, os docentes estiveram sendo informados sobre os últimos acontecimentos envolvendo a categoria e a gestão municipal.

O diretor do Sismuc, Maurício Peloso, iniciou a assembleia justificando a ausência do Presidente do sindicato, Eduardo Mendonça, que não se fez presente por motivo de ter ido ao Recife junto com o seu departamento jurídico para dar entrada no Agravo de Instrumento no Tribunal de Justiça contra a ilegalidade da greve. “Já estamos tomando todas as medidas legais e cabíveis que o momento requer e informamos ainda, que o SISMUC Regional, honrando o seu lema “Trabalho e Luta”, não poupará esforços em prol da defesa dos direitos dos seus associados”, destacou Peloso.

A Assembleia não durou muito, pois, os professores tinham pressa em se deslocar até o Ministério Público para entregar a promotora Silvia Amélia um documento denunciando o Prefeito do Município de Caruaru, pela sua recente atitude arbitrária, descabida, opressora e ilegal contra o movimento grevista nos seguintes pontos:

a-Descontar dos Professores participantes do movimento reivindicatório, os dias parados;

b-Suspender o desconto em folha da taxa mensal dos associados ao SISMUC REGIONAL;

c- Suspender ao desconto em folha do pagamento de convênios com planos de saúde dos associados ao SISMUC REGIONAL.


Fonte: Sismuc

Notícia - 31/03/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Novo secretário de educação toma posse

Tomou posse na manhã desta segunda-feira (31) o novo secretário de Educação do município, Antônio Fernando, que foi recebido com um café da manhã por toda equipe da Secretaria de Educação e foi apresentado pelo ex-secretário, Welson Costa, que ficou à frente da pasta durante mais de um ano. Antônio Fernando deixou a Gerencia Regional de Educação - GRE, órgão que geriu durante sete anos e agora faz parte do quadro de funcionários do município.

Fonte/ foto: Blog do Vanguarda

 

Notícia -  31/03/2014

Diário da Greve

Diário do comando de greve dos professores de Caruaru 31/03/2014.

Pela manhã, os professores se reuniram na sede do sindicato e comemoraram a primeira derrota da prefeitura na justiça. Em seguida, se dirigiram à secretaria de administração como o intuito de solicitarem seus demonstrativos de pagamento. Na oportunidade, fizemos um protesto no pátio da prefeitura, entoando palavras de ordem contra a atitude arbitrária do prefeito de descontar os salários dos professores.

No início da tarde, reunimo-nos em mais uma assembleia para discutirmos as medidas necessárias para combater a atitude da prefeitura de descontar os dias parados. Durante a assembleia o que se viu foi uma sequência de pronunciamentos emocionantes, onde os docentes expressaram sua indignação em relação à manobra do prefeito. O que ficou claro foi que a estratégia da prefeitura surtiu o efeito contrário, pois vários colegas que tinha desistido da greve retornaram ao movimento, indignados com o desconto nos salários.

Terminada a assembleia, os professores seguiram para o Ministério Público com a intenção de entregar documento/denúncia sobre a medida da prefeitura em relação aos seus salários. Saímos da promotoria com um forte sentimento de solidariedade e com a certeza de que nossa força cresce a cada dia.

Exclusivo /Notícia - 31/03/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Primeira derrota de José Queiroz na justiça

O prefeito José Queiroz viu a sua a primeira derrota no processo de ilegalidade da greve na sentença publicada na última sexta (28/03) no TJPE. A prefeitura comunicou a desobediência do sindicato em não cumprir a decisão de suspender a greve e pediu a majoração da multa ( aumentar o valor da multa) e comunicar ao Ministério Público o crime de desobediência, mas o Desembargador Jovaldo Nunes Gomes entendeu que como o sindicato foi citado e está dentro do prazo de resposta, devolveu os autos à Diretória Cível e só depois do prazo irá se pronunciar.

Veja a decisão baixo.

 

Notícia - 29/03/2014 - Editada- Clique aqui para comentar esta notícia
José Queiroz vai deixar 35 mil alunos sem reposição de aula

O prefeito José Queiroz optou por deixar 35 mil alunos da rede pública municipal sem a reposição das aulas. O desconto das faltas de greve foi feito sem nenhum aviso, depois que o secretario executivo de administração Luiz Torres Neto garantiu na reunião no Ministério Público, na presença da promotora Silvia Amélia, que não haveria os descontos  .

A prefeitura não emitiu nenhuma nota informando dos descontos e nem se devolveria caso os professores retornassem as atividades, com isso, os professores ficam impedidos de repor as aulas, pois a prefeitura mostrou não ter interesse em devolver o que foi descontado. 35 mil alunos serão prejudicados, pois ficarão sem as aulas dos 35 dias de greve e terão o ano letivo comprometido, pois a greve vai continuar até que o prefeito resolva negociar.

 

Notícia - 29/03/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Prefeito José Queiroz manda descontar salários dos professores

O Prefeito de Caruaru, José Queiroz, mandou descontar os salários dos professores. A categoria viu neste sábado a última tentativa de fazer os professores voltarem para a sala de aula. Zé Queiroz mandou descontar os dias de greve. O que chama mais a atenção é que o desconto não foi igual para todos os professores, alguns tiveram descontos maiores que outros.

No dia da reunião com a promotora Silvia Amélia no Ministério público, Secretário Executivo de Administração Luiz Torres Neto, garantiu a promotora que não haveria descontos, ele ressaltou enfaticamente que "Eu sou o secretário executivo, eu saberia disso", o que se confirma não ser verdade, pois além dos descontos que já estavam sendo confirmados via internet, em Ligação aos Recursos Humanos da prefeitura, uma funcionária da folha de pagamento confirmou que a folha já estava fechada na segunda-feira (24), e que o lançamento para o banco foi feito na quarta-feira (26), a reunião no ministério público foi na quinta-feira (27), ou seja, o secretário executivo já saberia dos descontos.

Nas redes sociais a revolta com os descontos aumentou ainda mais o sentimento de não retornar as aulas, os professores estão considerando o fato, um ato de covardia.

 

Notícia -  28/03/2014

Diário da Greve

Diário do comando de greve dos professores de Caruaru 28/03/2014.

Iniciamos o dia nos separando em duas equipes para executarmos atividades da greve. Um grupo seguiu reunido no SISMUC para planejar as atividades da próxima semana e avaliar esta que se encerra.

Outros membros compuseram uma Comissão Mista com representantes do SISMUC, ATEC, Conselho Tutelar, Conselho de Educação e Ministério Público com o objetivo de fazer visitas às escolas municipais. Essas visitas têm como objetivo principal informar aos(as) gestores(as) QUE É IRREGULAR A JUNÇÃO DE ALUNOS DE PROFESSORES QUE ESTÃO EM GREVE, COM ALUNOS DE TURMAS DE PROFESSORES CONTRATADOS QUE ESTÃO NA ESCOLA. Na visita são esclarecidos os procedimentos legais para informação aos familiares e ratificação que a escola não pode receber os alunos que têm professores participando do movimento. Estamos observando ainda, a frequência atual das unidades e observando em quais turmas deverá haver reposição.

A primeira escola visitada foi o Álvaro Lins, onde podemos constatar que existiam alunos nessa situação irregular e a gestora foi orientada para procedimentos futuros. Observamos uma baixíssima frequência no turno visitado e colhemos informações de que os poucos alunos que estão indo p escola, do 6º ao 9º ano, da tarde, estão tendo "aula" de facebook, na sala de informática e assistindo filmes, na sala de vídeo.

Elaborou-se, junto à Comissão Mista, um calendário de primeira visita para as outras escolas e o de volta às escolas já visitadas.

Finalizamos o dia em uma reunião avaliativa, no SISMUC.

 

Notícia - 28/03/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
 
Resultado da Olimpíada de Matemática 2013
Veja a lista de alunos da rede municipal que foram premiados com medalha de bronze e menção Honrosa na olimpíada de matemática das escolas públicas

Medalha de Bronze

Sergio Antonio Trajano Da Silva - Escolas Reunidas Duque De Caxias
Josuelson Silva Candido - Escola Mul. Deputada Cristina Tavares

Menção Honrosa

Israel David Da Silva - Escolas Reunidas Duque De Caxias
Wynny Kelly Rodrigues Souto Maior - Escolas Reunidas Duque De Caxias
Anderson Cordeiro Da Silva - Colégio Mul. Álvaro Lins Ens. 1º 2º Graus
Pedro Victor Martins Firmino - Escola Municipal Jose Clemente De Souza
Jeferson Pereira Da Costa - Colégio Mul. Álvaro Lins Ens. 1º 2º Graus
Amélia Raiane Nunes Chaves - Colégio Mul. Álvaro Lins Ens. 1º 2º Graus
Katielly Veríssimo De Albuquerque - Col. Mun. Prof. Kermógenes Dias Araujo

 

Notícia - 28/03/2014 - Atualizado às 11:17 - Clique aqui para comentar esta notícia
Professores já relatam descontos no pagamento

 

 

Professores já estão relatando o desconto no pagamento de março, apesar de a prefeitura, por meio do Secretário Executivo de Administração Luiz Torres Neto, garantir na reunião com o ministério público que não estava sabendo de nenhum desconto.

 

A prefeitura não contava que os professores acessassem o extrato de suas contas via internet, para verificar se haveria os descontos, no site da caixa econômica é possível ver os lançamentos futuros, como mostra a imagem abaixo.

 

 

a foto acima foi verificado um desconto de quase R$ 1.000,00, os descontos não são iguais em valor para quem verificou. Outros professores relatam que nas suas contas não aparecem o lançamento futuro, o que poderia indicar um desconto de 100% do salário.

 

Atualização - O Recursos Humanos, informou por telefone, que pode ser um problema da caixa não aparecer os lançamentos futuros. Questionando sobre meu pagamento, a funcionário informou que estava "normal".

 

 

 

 

Notícia - 28/03/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Novo secretário de educação pode assumir segunda

 

Exonerado na terça-feira (25/03) da função de gerente da GRE de Caruaru, Antônio Fernando  deverá assumir a secretaria de educação na próxima segunda-feira (31/03). O secretário, que já vem acompanhando a greve dos professores, vai assumir em um dos piores dias da greve, quando os professores poderão confirmar os descontos nos salários.

 

 

 

 

Análise - 27/03/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Sismuc vai acionar a justiça contra descontos

 

Eduardo Mendonça, Presidente do Sismuc, postou em rede social que já está tomando as devidas providências contra os possíveis descontos.

 

"Gostaria de informar que já estamos tomando as devidas providências caso ocorra algum desconto nos salários dos professores devido a GREVE, portanto companheiros, o nosso sindicato não medirá esforço para garantir o DIREITO DE TODOS!!!! E como boa notícia o deputado Paulo Rubem pediu uma cópia de "FAMIGERADO PCC" para colocar num processo em Brasília!!!! A LUTA CONTINUA!!!"

 

 

 

Análise - 27/03/2014 - Clique aqui para comentar esta notícia
Eles só dizem não

 

Completados trinta e três dias de greve, o dia 26 de março ficou marcado neste movimento dos professores, não por aqueles que estavam presentes para negociar o fim da greve, mas sim, por uma única pessoa que não estava presente, mas que poderia mudar toda a situação. O prefeito de Caruaru.

Como disseram os seus representantes na audiência, "nós não podemos negociar", foi uma decisão deles? Não, eles eram apenas as pessoas da vez, da vez de dizer que só o prefeito decide. As duas últimas pessoas que tiveram essa incumbência, já não estão mais na prefeitura, um foi/ainda vai ser exonerado e o outro devolvido ao Estado por não ser o preterido. Triste sina de quem faz esta função.

No primeiro momento do dia, criou-se uma expectativa de que algo poderia mudar, mesmo depois de ter enviado diversas notas a imprensa informando que não iria mais negociar, a prefeitura mandou representantes a audiência. A promotora Silvia Amélia, conduziu a conciliação pedindo que os professores informassem sua pauta de reivindicações, em seguida, pediu para que os representantes da prefeitura falassem sobre os pontos levantados, e o que ouviu-se foi: "não negociamos sem que os professores voltem para a sala de aula".

O que mais chamou a atenção neste momento da negociação, é que todos os problemas da educação, todos, são culpa dos professores. Explico, dissemos que queremos água potável para todas as escolas, para que os alunos possam beber e não precisarem mais trazer de casa, mas  os representantes da prefeitura ratificavam, nós só negociamos se vocês voltarem.

Negociar água para que os alunos possam beber? Condicionar uma condição essencial ao retorno dos professores?

Dissemos que as escolas sofrem de problemas de estrutura e que fios desencapados estão ao alcance dos alunos, e mais uma vez os representantes da prefeitura ratificavam, nós só negociamos se vocês voltarem.

Negociar a exposição dos alunos a um acidente ou até mesmo a morte em um choque elétrico como citou a promotora? Condicionar a segurança dos alunos ao retorno dos professores?

Dissemos que a merenda precisa ser igual ao cardápio que é fornecido, e mais uma vez os representantes da prefeitura ratificavam, nós só negociamos se vocês voltarem.

Negociar a alimentação dos alunos? Condicionar a alimentação dos alunos que muitas vezes só tem a merenda como único alimento do dia ao retorno dos professores?

Isso é negociar? As crianças que frequentam as escolas da rede municipal são realmente prioridade para o município?

A audiência foi concluída, a negociação esperada não aconteceu, os alunos não terão água potável, ficarão expostos aos fios desencapados e não terão o cardápio correto da merenda. A prefeitura talvez não tenha percebido que o seu não, não era tão simples.

As condições dignas que nossos alunos precisam em uma sala de aula não poderiam estar na pauta de negociação da prefeitura, nem tão  pouco condicionadas a qualquer fator, elas deveriam ser a prioridade absoluta de qualquer gestor, não caberia aos professores lembrar o que uma prefeitura tem que fazer, mas quando chegamos ao extremo de termos 2 secretários de educação comandando, alguém precisa gritar para cuidar das nossas crianças, porque eles não merecem ser tratadas como objeto de troca.

Diogo Farias Fonseca

Site Professores de Caruaru

 

 

Notícia - 27/03/2014
Nota de repúdio a TV Jornal Caruaru

 

             O Site Professores de Caruaru vem por meio desta, repudiar a forma como o apresentador Igor Maciel vê a greve dos profissionais da educação municipal, nas suas palavras durante a apresentação do TV Jornal Notícias do dia 26/03/2014  a greve "parece uma briga de crianças".

            Com trinta e três dias de paralisação das atividades é inaceitável que alguém banalize uma situação tão grave, principalmente utilizando-se de um meio de comunicação tão expressivo como é a televisão.

            Deveria ser dada à noticia, a importância que ela tem, pois nós, professores, não estamos nas ruas por algum tipo de infantilidade, nem tão pouco resolvemos desobedecer a justiça por alguma birra, como também não estamos brincando de fazer educação quando pedimos melhores condições para nossos alunos.

            Todos estão sofrendo prejuízos, tanto alunos quanto professores, um não mais que o outro, pois da mesma forma que os alunos estão perdendo aula, mas terão o seu direito a reposição, os professores também têm suas famílias, que dependem do salário para sobreviver, uma aula é tão necessária quanto um prato de comida na mesa.

            A TV tem um alcance muito grande e rápido e é preciso analisar com propriedade e seriedade os fatos para não denegrir a imagem de uma categoria.

 

Diogo Farias Fonseca

Site Professores de Caruaru

 

Notícia - 26/03/2014
Reunião no Ministério Público não chegou a acordo e greve continua

 

Após a tentativa frustrada de negociação na Audiência de Conciliação entre Professores Municipais e Prefeitura na manhã desta quarta-feira, 26, no Ministério Público de Caruaru, os docentes em greve desde o último dia 24 de Fevereiro, estiveram participando à tarde de nova assembleia promovida pelo SISMUC REGIONAL, nas dependências da União Beneficente dos Artistas de Caruaru. Na ocasião, a intensão dos educadores foi de decidir os rumos que a categoria vai tomar até um posicionamento concreto de negociação por parte do Chefe do Executivo.

Não poderia ser diferente, como mais uma vez não houve acordo com a gestão do Município, os Servidores Públicos da Rede Municipal de Educação decidiram por unanimidade em dar continuidade ao movimento grevista e continuarem de braços cruzados até que se tenham um posicionamento real da prefeitura. “Nosso movimento é forte e se há resistência por parte da prefeitura em sentar e negociar no intuito de resolver tudo isso, agente também mostra nossa força, pois usaremos todas as vias legais cabíveis para chegarmos a atingir os nossos objetivos”, disse Eduardo Mendonça.

“Vale lembrar que nós recebemos notificação do Tribunal de Justiça de Pernambuco, informando que a greve é ilegal e que deveríamos voltar imediatamente ao trabalho, porém, nós vamos recorrer na justiça e continuar lutando pelos nossos direitos até sermos atendidos”, apontou Mendonça.

 

Notícia - 26/03/2014
Greve dos professores é notícia no congresso

 

Assista ao vídeo do deputado Paulo Rubem apoiando a greve dos professores de Caruaru. Na fala ele também defende a greve dos professores de Santa Maria de Boa Vista. Veja o vídeo parcial abaixo e o vídeo da fala do deputado no link  a seguir.

 

Vídeo completo

 

http://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/webcamara/arquivos/recentes/videoArquivo?codSessao=47479#videoTitulo

 

Trecho dedicado aos Professores de Caruaru

 

 

Página - 1 - 2

 

Arquivo de notícias - 2014 - 2013 - 2012 - 2011

Todos os direitos reservados - 2011 - 2014

xanga traffic.